Arquivos para categoria: simples assim
correria danada. com dificuldade de blogar. mas com vontade.

após uns 15 dias com uma possível virose e mais um email da Grace cheio de chacoalhões (do jeito que eu gosto), ando conseguindo enxergar melhor meu horizonte. ando empolgada com a chance da mudança, com um novo ar de volta à minha vida.

e depois de alguns meses bastante entocada na casa da minha mãe, volto pra minha própria casa com mais segurança e desejos. tento colocar no papel todas as alterações que pretendo fazer por lá e aqui dentro de mim.
+++

Pedroca é um menino alegre e carinhoso. e eu, que sempre sonhei com um filho assim, fico (continuo) babando na cria. ele gosta da lua, dos pássaros, de cantar e, principalmente, de comer. já nasceu comilão e é assim até hoje. come-come-come o que aparecer pela frente. tento protegê-lo do açúcar, do sal e do óleo. mas às vezes não tem jeito… e sossego o facho o vendo deliciando um pirulito, uma boa pipocada ou uma sopa de gente grande.

e tá SUPER falante o garoto. AFEEEE! fala mesmo pelos cotovelos. continua com a mania de cantarolar as palavras que sabe (e que mais gosta/fala). hoje mesmo acordou dizendo (cantando): “luuuaa, mamãããeee, papáááá, pééé, piu-piuuuu, luuuaaaaaa”. tudo assim. uma atrás da outra. como se não quisesse esquecer nadinha.

e, como ele anda se expressando super bem, as manhas e tapas e chororôs de antes abriram espaço pra mais risadas, carinhos e rostinho de contentamento. ou não, né? pq, graças a Deus, crianças precisam (e gostam) de LIMITES. eu nunca bati nele, mas não arredo o pé. quando não pode, NÃO PODE e pronto. deixo berrar, chorar, esguelar. e ele aprende logo que não conseguirá me dobrar. e sossega o pito.

ah, ele gosta também de empilhar objetos. acho engraçado aquele toco de gente conseguindo equilibrar uns potes pequenos. e passa hooooras com fios e tomadas… não se assustem, eu dei pra ele aquelas extensões com várias tomadas, sabem? e aí ele fica um tempão plugando as coisas por lá (certinho, gente). e quanto mais pequenino o buraquinho, mais ele gosta… o fone de ouvido do Ipod, por ex. ele adooooora tirar e colocar, tirar e colocar… vai entender.

+++

quando ele nasceu a querida Alda deu pra ele de presente um tênis super charmoso nº 22. eu olhava aquele tênis imenso pro pezinho dele e ficava torcendo pra chegar logo o dia de calçá-lo no menino. mas esse dia nunca chegava. daí que o pai dele comprou na semana passada um sapatinho nº 23 e eu fiquei assustadíssima. meu Deus!! como ele cresceu! e assim: puf, de uma hora pra outra!! corri pra pegar o tênis da Alda! e Pedroca agora anda todo lindo e chic com seu tênis xadrez novinho!
+++

é MUITO difícil o Pedro usar coisas NOVAS. difícil mesmo! a maioria das roupinhas e sapatos dele são herdadas de filhos de amigos ou parentes. e eu adoro, viu? gosto de vê-lo com a camisetinha que o priminho usou, por ex. e morro de rir quando minha amiga chega em casa e quase chora de emoção “ai, Pedro!! vc está com a bermudinha que era do Rafaaaa!!!”. e são roupas boas, todas praticamente novinhas!!

e a corrente continua. as roupas do Pedro estão agora sendo usadas pelo meu priminho João Octávio e tem uma mala de roupinhas que logo vão pro fofissimo-queridissimo Otto. ;o)
+++

finalizo o post imenso com uma foto engraçada do Pedroca. com cara de assustado. hehehe

e eu canto pra ele: “Bolinhaaaa… Bolinhaaaa! Está na hora de você entrar na linhaaaa!” :o)

 

“Porque a cabeça da gente é uma só, e as coisas que há e que estão para haver são demais de muitas, muito maiores diferentes, e a gente tem de necessitar de aumentar a cabeça, para o total. Todos os sucedidos acontecendo, o sentir forte da gente – o que produz os ventos. Só se pode viver perto de outro, e conhecer outra pessoa, sem perigo de ódio, se a gente tem amor. Qualquer amor já é um pouquinho de saúde, um descanso na loucura.”

[Guimarães Rosa]

os livros que eu quero custam 600 reais, inimagináveis 600 reais. o homem que eu desejo está longe, muito longe, inalcançável. meu sonho de menina ficou perdido no buraco do tempo, não vou ser médica. meus escritos criam poeira num canto da sala. na tela, não há filme que me retrate, não sou mocinha, não sou vilã. meus amigos bebem alheios. meus irmãos não precisam de mim. meus sobrinhos só tateiam meu nome. meus pais não me recolhem, não há ventre, não há colo. ando perdida no meu labiritinto de quatro paredes.

gosto tanto do que ela escreve!

engraçado… um dia chuvoso em SP é completamente diferente do dia chuvoso daqui. em SP, quando eu acordava e via que tava chovendo, já ficava bolada pensando no trânsito e em como as pessoas ficam mal humoradas. mas aqui no interior percebi que um dia chuvoso é somente um dia chuvoso. deu pra entender? a gente não sofre pensando em “como será chegar no trabalho com uma chuva dessas!”. aqui não tem trânsito.

fiquei uns 10 minutos no terraço do prédio olhando o funcionamento da cidade… e agradeci aos céus!

15 dias. do nascimento até hoje. parece que foi ontem, mas também parece que foi há uns 3 anos. (assim, estranho mesmo). ele cresce a cada dia e segue mudando a carinha, o beicinho, as manhas e manias. e eu continuo babando. olhando pra ele e lambendo a cria.

e dizem que é difícil, mas maravilhoso ser mãe. eu diria que difícil é pouco. me sinto sugada, sem uma gota sequer sobrando pra contar história. sou TODA dele. 24 por 7. e ele me quer e sempre e mais. e sigo me doando, me entregando…  o quanto posso e mais um téquinho.

mas é verdade que é maravilhoso. bom-bom-bom. gostoso olhar pra ele. me deliciar com seus olhares, suas mãozinhas, seu cabelinho claro… e o cheirinho, gente??? ai MEU DEUS como amo sentir o cheirinho dele! e se ele chora eu sofro, se ele fica quietinho brincando eu sinto uma felicidade indescritível, se ele grita de fome quero saciá-lo o quanto antes… e quando ele solta aqueles barulhinhos “ahnnn/huhu/glup” eu d-e-r-r-e-e-e-e-e-e-t-o. definitivamente: vale a pena.

e assim vamos seguindo nessa rotina gostosa e trabalhosa… ele num círculo vicioso (mamar/fazer xixi.cocô/dormir) e eu crescendo e me descobrindo mãe.

dsc09234
meu Petit

meu Petit